quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Thamy Mozant

Thamy Mozant

24 de Dezembro de 2010

Véspera de natal!

Você não foi a primeira e nem sera a ultima, meu anjo noturno!
Mas foi a melhor! Nem uma antes me satisfez por completo assim
como você! E pode ter certeza nem uma outra o fará.
As noites frias e o brilho da lua sempre me fazia mergulhar nua
infinita solidão.
E naquela noite não foi diferente eu avia saído para respira um
pouco, pois a mas de um mês não saia de meu apartamento imerso
em meus pensamentos e nas composições de minhas musicas. Para
o novo CD de minha banda Angel sanctuary.
Já estava andando a um bom tempo, apenas admirando as belezas
noturnas e ouvindo a voz de milhares de pessoas que pareciam fala
todas ao mesmo tempo em minha mente! Como odeio essa maldição.
Eu sempre passei despercebido pela multidão! Como se fosse apenas
mas uma sobra em tantas outras.
Mas o que me intriga e não consigo entender e como ninguém a notou
sua presença naquele local.
Lá estava você parada naquele ponto de ônibus como se fosse uma
alma perdida, a espera de seu guia para terra dos mortos.
Um casaco negro cobria male male a brancura de seu corpora sua
expressão facial não demonstrava medo algum! Pelo contrario ela possuía
a coragem de uma guerreira!
Seus cabelos errão negros e cacheados! E assim como a noite possui-a
uma beleza única! Seus olhos verdes errão como as estrelas de um brilho
divino e encantador.
Sua mente se abriu para mim! Vi seus desejos com uma clareza espantosa
-Venha meu senhor da noite prove de meu sangue!
Como um cervo obediente ao pés de sua rainha obedeci seu chamado!
Não queria saber qual seria o preço por essa aventura! Mas também não
estava dando a mínima, só queria aproveitar aquele momento hesitante.
E algo em meu subconsciente me dizia que iria valer apenas qual fosse
o valor dessa aventura.
E também o que seria dessa minha imortalidade sem essas aventuras.

Eu a envolvi em meus braços a segurando firme com uma amante costumeira
e partimos rapidamente para meu apartamento.
Já em meu apartamento acendi a lareira com um estralar de dedos.
O fogo surgiu como um Deus imponente lançando suas fagulhas douradas sobre
você minha convidada misteriosa.
Eu a deixei na sala aquecida enquanto tomava um banho longo e demorado
para tira o cheiro de morte de meu corpo!
Vesti meu roupão de seda negra! Lhe trousse em cálice de cristal com vinho tinto
de uma safra muito antiga, que claro você bebeu rapidamente.
Ela continuava na protona quieta e submissa como eu avia lhe deixado.
Removi seu casaco preto enquanto a beijava delicadamente cheio de espectativa.
Tinha fome de você! Mas eu tinha que ser o mas paciente possível pois queria
prologar esse prazer para sempre se fosse possível
Me servi de um pequeno gole de sua essência! Nunca avia provado algo tão bom
assim! Um pequeno gole que foi o suficiente para me toma de um desejo insaciável.
Então comecei minha pequena aventura, que era desvendar seus mistérios
Queria conhece-la por completo! Sua mente ia se abrindo para mim como uma
caixinha de surpresas.
Thamy Mozant este era o nome de minha dama misteriosa! E assim comecei a
explora os detalhes de sua intimidade! Com meu olhos com minhas mãos e com
minha mente, sem pressa eu tocava seu corpo com a língua indo de seus lábios a
suas partes mas intimas! O gosto salgado de sua intimidade e o perfume adocicado
de seu corpo era um veneno para os humanos e uma perdição para os imortais.
Você não era nem de longe parecido com as outras de cujo o nome já nem me lembro
mas! Você era única! O prazer em forma de mulher.
Tinha muito mas a me oferecer! Deslizamos juntos para o tapete felpudo da sala com
um outro estralar de dedos liguei o aparelho de som! E no mesmo momento começará
a tocar a musica Dead Boys Poem da banda Night Wish!
Eu não podia me conter estava um tanto quanto cansado! Restavam menos de quatro
horas para o amanhecer! Mas não a podia deixa por nada deste mundo. Com leveza
penetrei sua intimidade ela suspirava de prazer! Eu chegará pensar que você era de mas
para mim, mas mesmo assim queria devorará por completo.
E o fiz com um prazer que me levou a loucura! Suguei tudo que você possuía! Seu néctar
da vida sua dor e tristeza sua angustias e felicidades seus dramas e seus desejos.
Repeti esse processo pelo resto da noite que me restava.

Você minha dama me saciou de uma forma como eu nunca avia sido antes! Eu a esgotei
por completo retirando de você tudo aquilo que você poderia me dar.
Abandonei a no chão exausta coberta pelo meu roupão de seda negra enquanto acendia
um cigarro Calton filtro branco.
Sentei-me no sofá tragando o cigarro bem forte enquanto a fumava se evaporava pelo ar.
Podia ouvir seu coração quase parando! Enquanto eu observava a dança das pequenas
chamas que se estigião na lareira.
Nesse momento percebi! Era hora de paga o preço! E agora sabia qual era e pagaria com

muito prazer essa minha divida.

A peguei em meus braços o roupão que cobria seu corpo nu caiu ao chão, rasguei com força
meu pulso esquerdo deixando o meu sangue frui para dentro de sua boca.
Beba Thamy! Beba tudo minha dama pois e com muito prazer que pago minha divida com
você.
Não demorou muito e ela começou a treme e a ser contorcer de dor! Eu não podia fazer muito
a não ser mante-la em meus braços lembro-me de te dito a você algo que li em um livro que não
me lembro mas o titulo.
Morra minha dama abandone esse corpo frágil para que possa renascer fortalecida logo essas
dores irão passar.
Tudo avia terminado suas dores avião sessado! Ela renascerá sua beleza agora superava as
próprias deusas da mitologia grega.
Venha minha dama alimente-se de meu sangue para saciar sua sede! E assim ela o fez sem
dizer uma só palavra, mas podia ver a alegria em seus olhos.
Restava menos de uma hora para o amanhecer! Era o tempo suficiente para um banho.
Eu dei um bom banho em minha dama silenciosa! Limpei e tirei todo o sangue de seu corpo.
Penteei seu cabelo a vesti com uma camisola de seda vermelha que pertenceu a uma antiga
amante! Enquanto isso ela apenas me observava em seu silencio.
Fomos para o quarto onde a luz do dia não nós faria mal algum a eu e minha dama renascida.
Deitamos nua enorme cama de casal do seculo xv ela tinha lagrimas nos olhos me abraçou
forte e pude ouvi sua voz melancólica!
- Nunca me deixe meu querido anjo noturno! Quero esta para sempre ao seu lado meu adorável vampiro.
Confesso que me emocionei com suas palavras e chorei abrasando a contra meu peito e sentindo o
aroma adocicado de seu corpo.
Minha bela dama já avia se entregado ao cansaço e adormecerá! Eu também já não tinha mas forças também
estava exalto e não conseguia resisti mas ao amanhecer que avia chegado.
-Durma minha dama! Pois terei muito o que lhe ensina quando a noite chegar.
E lhe roubando um beijo adormeci abrasado junto a ela. Sentido um sentimento que a tempo avia esquecido.
Um sentimento chamado carinho.


Por: Eddy Khaos

Um comentário:

  1. bEM LEGAL ISSO GOSTEI , COMO SEMPRE ESTÁ DE PARABENS CARO AMIGO LORD CAOS.

    ResponderExcluir